RANKING

Florianópolis ocupa 2ª posição do Ranking Connected Smart Cities 2021 entre 677 municípios

01/09/2021 14:00:00

Florianópolis ocupa 2ª posição do Ranking Connected Smart Cities 2021 entre 677 municípios

Florianópolis é, pelo segundo ano consecutivo, a segunda colocada no Ranking Geral do Connected Smart Cities 2021, e também se destaca na primeira posição entre as cidades da região Sul. 

O primeiro lugar ficou com São Paulo (SP), o terceiro Curitiba (PR), seguido de Brasília (DF) e Vitória (ES).

Na sexta posição está São Caetano do Sul (SP), seguida por Rio de Janeiro (RJ), Campinas (SP), Niterói (RJ) e Salvador (BA).

O Ranking mapeia todos os 677 municípios com mais de 50 mil habitantes. 

O objetivo é definir as cidades com maior potencial de desenvolvimento do Brasil. 

A edição 2021 do estudo conta com 75 indicadores (5 a mais que o ano anterior), que atestam serviços inteligentes nas cidades.

O resultado é apresentado em 4 frentes: posição geral, por eixo temático, por região e por faixa populacional. 

O Centro de Convenções Frei Caneca sedia, entre esta quarta (1º) e sexta-feira (3), a 7ª.edição do evento nacional Connected Smart Cities e Mobility, que destaca as cidades mais inteligentes do país com a apresentação do Ranking e ainda com o Prêmio Connected Smart Cities que traz 10 finalistas com negócios inovadores para as cidades. 

Neste ano, o evento acontece em formato híbrido, presencialmente, nesta quarta e quinta-feira, e ,de forma digital, até sexta.

O resultado do Ranking Connected Smart Cities 2021, estudo elaborado pela Urban Systems, em parceria com a Necta, foi apresentado durante a Cerimônia de Abertura do evento para autoridades, empresários e especialistas nacionais e internacionais. 

FLORIANÓPOLIS EM NÚMEROS

  • Considerando as alterações do Ranking Connected Smart Cities em 2021, a cidade de Florianópolis mantém-se como a 2ª mais bem posicionada.
  • No eixo de mobilidade, a cidade conta com 28,3 quilômetros de ciclovia para cada 100 mil habitantes, índice 5 vezes superior ao da cidade de São Paulo. A capital catarinense conta ainda com 0,15% da frota de veículos de baixa emissão, um dos maiores índices entre capitais, além de contar com sistema de bilhete eletrônico no transporte público e semáforos inteligentes.
  • Em educação, outro eixo de destaque da cidade, Florianópolis oferece 24 vagas em universidade pública para cada mil habitantes em idade economicamente ativa. A média da nota ENEM entre as escolas públicas é de 464 pontos.
  • O sistema de matrícula escolar na rede pública online aponta 78,4 computadores para cada 1.000 alunos, e 6,9% de toda força de trabalho formal empregada no setor de educação, pesquisa e desenvolvimento.
  • Em economia, nos últimos períodos analisados, Florianópolis apresentou crescimento de 6,34% no PIB per capita, 0,41% no número de empresas e 5,48% no número de empregos.
  • A cidade de Florianópolis apresenta velocidade média de 92,5 mbps entre as conexões de banda larga, com uma densidade de 125 acessos para cada 100 domicílios, mostrando que conexão e comunicação estão presentes nas residências e negócios da cidade.
  • O crescimento das empresas de Tecnologia é de 7,34% no último período analisado, e das MEIs é de 23,23%.
  • Em Segurança, as despesas pagas são de R﹩90,98 por habitante.
  • Com Saúde, o investimento em despesas pagas foi de R﹩685,29 por pessoa, com 3,99 leitos disponíveis por mil habitantes, e 633,2 médicos efetivos para cada 100 mil.
  • A capital catarinense destaca-se, também, na 3ª posição do recorte de Mobilidade do Ranking Connected Smart Cities. Em Economia, ocupa a 4ª colocação, e é a 5ª mais bem posicionada no recorte de Educação.

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), cita que uma cidade inteligente é uma cidade que entrega qualidade de vida para a população, com auxílio de serviços eficientes da administração pública:

"A gestão precisa estar sempre atualizada e utilizar ferramentas modernas com soluções inovadoras. É dessa forma que Florianópolis quer ser vista para o resto do Brasil: uma cidade moderna, referência na área de tecnologia e que valoriza a qualidade de vida de cada morador".

Na capital catarinense, de acordo com o prefeito, o município utiliza os indicadores do Connected Smart Cities como complemento dos próprios indicadores:

“É sempre pauta, nas reuniões de colegiado e nas secretarias, em que precisamos avançar e quais os caminhos que estão reconhecidamente corretos”. 

"Minha formação me fez levar para a administração pública indicadores como parâmetros para as ações de gestão. Eu acredito que a prestação do serviço público deve ser medida para ser melhorada, e temos conseguido progredir nesses indicadores em todas as áreas".

O Presidente da Urban Systems e sócio da Plataforma Connected Smart Cities, Thomaz Assumpção, comenta:

“O Ranking Connected Smart Cities, ano a ano, vem auxiliando as cidades a entenderem o seu nível de desenvolvimento inteligente e sustentável, oferecendo parâmetros para que as cidades possam se planejar e criar estratégias para tornarem-se mais humanas e propiciar qualidade de vida a seus habitantes”.

"A edição 2021 do Ranking, mesmo com as alterações de indicadores, trazendo alguns que refletem as soluções já implantadas, apontou que algumas cidades permanecem em posições de destaque, mostrando que estas estão no caminho de trazer qualidade de vida aos seus habitantes, enquanto outras, mesmo com alteração no estudo, permanecem distante das posições ideais e precisam olhar com atenção ao planejamento da cidade".





Pinhalzinho, Jovem Programador e a economia criativa

Artigo de Carlos José Pereira, Diretor do Seprosc - Sindicato das Empresas de TI do Estado de SC